Arquivo do mês: dezembro 2016

Espanto, assombro, lucinação

Partiu, no domingo, o dia de Apolo, da beleza e da luz, o poeta do espanto, do assombro, da lucinação. Sim, o poeta como filósofo, para quem a próxima faceta do pensar se mostra feito bomba, luminífera, a explodir as … Continuar lendo

Publicado em crônica | Deixe um comentário