Arquivo do mês: fevereiro 2010

Vago simpático

Vago simpático   Sem mato nem cachorro, só o oco do grito mudo lançado na tangência do absurdo. Quantas rimas sem destino, sem propósito, sem ofício, sem papel outro que ritmar a metáfora da folha em branco que cai no … Continuar lendo

Publicado em Poesia | 1 Comentário