Arquivo do mês: novembro 2007

Alquímico

  Alquimista que sou misturo nas retortas da poesia sentimentos ácidos, doces, amargos e com tal matéria-prima armo, arquiteto, sublimo e solidifico poemas que os mortais comem, bebem, arrotam e vomitam pelas praças. Anúncios

Publicado em Poesia | 1 Comentário

Noturno

  Quando vem a noite e liberto-me em espírito, lanço-me em vôos no infinito espaço; traço rotas aleatórias, sigo os signos dos astros, perco-me na imensidade do nada.   Nesse vôo solitário, invariavelmente encontro, nas não-esquinas do espaço, o teu pensamento, … Continuar lendo

Publicado em Poesia | 3 Comentários

Reciclagem

Nas infinitas espiras da eterna roda da vida, toco um um réquiem lúdico para os que se foram rumo à liberdade.   Qual druida pós-moderno, misturo nas retortas da memória as ervas que cresceram de nosso contato — amores e … Continuar lendo

Publicado em Poesia | 2 Comentários