Arquivo do mês: agosto 2006

Sinal dos tempos

Do outro lado do mundo há civis na área — e balas de chumbo. Do outro lado do mundo há explosivos plásticos gás mostarda e inflamável. Há cheiro de pólvora, há cheiro de sangue e pedaços os mais variados de … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | 2 Comentários

Crianças de Cabul

As crianças de Cabul, como tantas de todo o mundo, olham o céu. Não buscam carneiros ou camelos de nuvens, nem papagaios de papel. Perscrutam, com olhos de criança, o infinito azul — que tripudia e zomba — a conferir … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Cantata de berinjela em sal menor

— Corte, em allegreto, cubos de berinjela, tomate, cenoura, batata, repolho, champignon, pimentão, cebola — reserve para o 2º movimento. — Pique, em allegro assai, dentes de alho, em mínimos pedaços, o que dará agudíssimo sabor. reserve para o 3º … Continuar lendo

Publicado em Poesia | 1 Comentário

Universo

  Hoje, quando penetrei teu corpo, mudei de via, não me contive e extrapolei os limites: Fui para além da barreira física e te toquei o espírito. Que linda realidade o teu espírito! E quando minha emoção de carinho o … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Deixe um comentário

Feliz Ano Novo

Aquela vidraça era, para Marcos, seu portal mágico para outras dimensões. No momento em que a abria, tudo se modificava, conseguia penetrar em uma espécie de sonho que transbordava de cores, espessuras e superfícies infinitamente belas, agradáveis, deliciosas. Aquela janela … Continuar lendo

Publicado em Contos | 2 Comentários

Papel Jornal

Hoje o dia chegou-me embrulhado em jornal. Titubeio indeciso, sem saber se abro o embrulho ou se leio o escrito. Enfim, se o dia tem que amanhecer, que seja.   Mas eis que ele se mostra em sua versão clichê … Continuar lendo

Publicado em Poesia | 3 Comentários

Lingvo kaj ago

  Ĉu vere, fremdulo, ke vi volas kompreni min? Ĉu vere, kamarado, ke vi volas instrui min? Ĉu vere, amiko, ke vi volas ami min? Kia lingvo ni uzos? Ĉu tia de mondaferoj? Ĉu alia, de scienculoj? Ĉu tia da … Continuar lendo

Publicado em Esperanto | Deixe um comentário