Arquivo do mês: julho 2006

Anatomia do Abraço

O abraço é um ato de comunhão. Quando abrimos os braços, abrimos também o peito, e na recepção de quem abraçamos, nos damos por inteiro. O abraço permite que toquemos nossos corpos. Encostam-se as pernas, tocam-se as coxas, os peitos … Continuar lendo

Publicado em Poesia | 3 Comentários

Canção da musa triste

Poeta, poeta, conheço teu verso que me vira do avesso com tantas promessas… São tão lindos sonhos, aventuras e encantos, são tantos mistérios que me invadem a alma, que me tiram do sério e me tiram a calma.   Poeta, … Continuar lendo

Publicado em Poesia | 1 Comentário

Alquímico

Alquimista que sou misturo nas retortas da poesia sentimentos ácidos, doces, amargos e com tal matéria-prima armo, arquiteto, sublimo e solidifico poemas que os mortais comem, bebem, arrotam e vomitam pelas praças.

Publicado em Poesia | Deixe um comentário

Sufoco

A vida do Otávio era boa como a de todos os rapazes que morando só, têm que sustentar-se. Trabalho e estudo, estudo e trabalho. Diversão? Só aquela cerveja das sextas-feiras com a turma da faculdade. Isto é, as duas sextas-feiras … Continuar lendo

Publicado em Contos | Deixe um comentário

Crônica fantástica sobre um fato nem tanto

  Foi logo inda há pouco, na inauguração de agosto do ano 5° do século XXI. O fato é que na madrugada apareceu nos céus de Palmas, Capital do Tocantins, um objeto que não se sabe se era voador, mas … Continuar lendo

Publicado em crônica | 1 Comentário

Ascensão

  Benjamin Constant, 125, elevador social. Esse o endereço do Ermenegildo. No coração de São Paulo, a cidade mais rica do hemisfério sul do planeta terra. O lugar, antigo centro financeiro e comercial de São Paulo era pintado a fuligem … Continuar lendo

Publicado em Contos | 1 Comentário

Apocalipse

      … enquanto a lua, vermelha e cheia, boiava num mar de infinito breu, como um olho enorme e bêbado a nos observar . Quanto haveria ainda de sofrimento? O ar irrespirável, era bafejado com o enxofre que … Continuar lendo

Publicado em Contos | 2 Comentários